Melane Trump (Foto da Internet)

Melania Trump, voltou a apresentar uma ação judicial contra um tabloide britânico que alegou que nos anos 1990 teria sido prostituta de luxo (“escort girl”). Segundo os advogados da ex-modelo, por ter tido sua reputação manchada, Melania teria deixado de ganhar “milhões de dólares” em possíveis contratos para lançar produtos com seu nome, como roupas, joias ou artigos de beleza.

A senhora Trump “teve uma oportunidade única em sua vida, enquanto pessoa extremamente célebre (…), de lançar uma marca comercial em uma ampla gama de produtos, que lhe teriam garantido, cada um deles, milhões de dólares em transações comerciais durante os anos em que estava destinada a ser uma das mulheres mais fotografadas do mundo”, alegaram os advogados da primeira-dama.

Melania Trump, ex-modelo de origem eslovena, exige 150 milhões de dólares (470 milhões de reais) de indenização por danos morais à empresa Mail Media, que publica o Daily Mail Online.

Incomodada com essas denúncias “maliciosas e prejudiciais”, publicadas durante a campanha presidencial, a primeira-dama tinha apresentado inicialmente, no dia 1º de setembro de 2016, uma demanda ao tribunal de Maryland. Os processados por difamação eram o Daily Mail e Webster Tarpley, autor de um blog nesse estado do leste americano.

O processo contra o Daily Mail acabou sendo recusado por razões de competência geográfica. O advogado de Melania Trump recorreu então a um tribunal em Nova York.

O processo contra Webster Tarpley, por sua vez, prosseguiu e terminou com uma vitória da primeira-dama, por meio de acordo negociado entre as partes, de acordo com o advogado de Melania. Tarpley aceitou pagar a Melania Trump uma “quantia significativa” por ter divulgado falsamente um passado de “escort girl” da atual esposa do presidente, ressaltou Charles Harder, sem revelar a quantia acordada. Melania Trump é a terceira esposa do milionário empresário, e mãe de seu filho caçula Barron.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here