Estádio Almeidão / Foto: GloboEsporte

 

Já com saudades dos clubes paraibanos e deste espaço aberto há quase um mês. É provável que não demore tanto para escrever novamente em momentos futuros, mas peço compreensão nesta pequena pausa devido justamente ao breque semelhante nas atividades das agremiações locais. Após apresentação de elenco, uniformes e a realização dos primeiros amistosos de pré-temporada, já é possível assumir a regularidade desejada.  

Não que já seja possível traçar metas com o que foi apresentado até o momento – até porque defendo que amistosos não servem de parâmetro comparativo nesta etapa – mas já é hora do torcedor abrir a mente e começar a sonhar; E porque não teria parte nisso? Também é hora de avaliar algo crucial e fundamental para o futebol: uniformes novos! 

Camisa ganha jogo 

Lembro da mística que rondava o uniforme do Sampaio Correa durante a Copa do Nordeste de 2015. Todos os jogos que a equipe realizou com a segunda camisa, um uniforme com dois tons belíssimos de verde na vertical, teve mais sorte com os gols que o tradicional boliviano. Tanto que em um Sampaio x Socorrense, o time do Maranhão fazia aquele 0 a 0 difícil de assistir, utilizando o primeiro uniforme, até que no intervalo optaram por trocar o uniforme e reassumir o segundo terno. O jogo esquentou e o Sampaio marcou 2 gols.  O placar final foi 2 a 1, mas mesmo assim, ao fim da primeira fase o clube não classificou para a segunda fase do torneio.  

Já vemos que não se trata só de uma camisa, mas da alma do time no ano. O Treze, por exemplo, já enfrentou o América-RN nesta fase preparatória e venceu por 1 a 0. O placar foi até agradável e quem esteve lá gostou da apresentação do Galo, mas é claro que o destaque ficou mesmo por conta da camisa branca, quase que retrô, utilizada na partida. Torcemos para que o uniforme seja adotado como oficial, mesmo que secundário já que a camisa listrada foi lançada na manhã desta quinta-feira (21/12) com um novo fornecedor e um design bem mais moderno que o utilizado no amistoso. Bonita, mas que não trás a representatividade da branca.  

 

 

O Belo apresentou seus uniformes novos junto com o elenco totalmente renovado. Poucos atletas que participaram do time de 2017 renovou contrato para 2018, um deles foi Dico, que foi apresentado até essa semana. Carlos Renato foi outro que merecia a renovação por ainda não ter mostrado qualquer futebol, já que sofreu uma grave lesão ainda durante a preparação desse ano que se encerra. Mas essa conversa é sobre camisa e a do Bota-PB deve agradar aos torcedores mais saudosistas. Os traços apresentam uma possível inspiração nos uniformes dos anos 90. Nada contra, mas confesso que esperava uma ideia mais moderna, como aconteceu nas temporadas anteriores. O uniforme secundário, por exemplo, deu um show de bola.  

 

O segredo é o marketing 

Aliás, o que aparenta vir muito forte para 2018 no time da maravilha do contorno é o marketing. A diretoria lançou na última semana a campanha #desafio1500socios que tem sido um interessante movimento do futebol local, sem dúvidas esse é um dos caminhos para aumentar a popularidade da marca. Acho importante também destacar que me emocionei com a visita dos goleiros botafoguenses ao senhor João Cruz, morador do lar de idosos Vila Vicentina. Esses exemplos já são excelentes convites para que possamos seguir observando as ações do Belo também fora de campo nesta nova temporada.  

A Raposa, o Brejo e o Sertão 

O Campinense até apresentou o uniforme, mas também o elenco e devido às idas e vindas desde a data apresentação, temos motivos para acreditar que a qualquer momento o uniforme também mudará. Eu explico! Desde a apresentação, seis jogadores deixaram o clube, a maioria ainda não possuía contrato assinado. O time de Campina Grande até tentou evitar balão negociando atletas no sigilo absoluto, mas parece que nem assim consegue firmar jogadores. Mas não foi apenas as condições das negociações ao ano de 2017, as camisas nem mudaram muita coisa também. A única grande mudança foi o fornecedor.  

 

Sem dúvidas a melhor camisa apresentada para 2018 é mesmo a do azulão de Cajazeiras. Aliás, o melhor elenco e preparação também tem sido. Neste ano a equipe levou a pré-temporada para São Paulo, no paraibano conseguiu a classificação para a série D e, portanto, terá calendário cheio em 2018. O elenco é bom no papel e as camisas de fato chamam atenção pela beleza. O time contratou o experiente Fábio Bilica, garantiu Mosquito e ainda importou o japonês Akitoshi Yamamoto, que já é quase brasileiro mesmo. O comando fica com Índio Ferreira. O Dinossauro e o Naça apresentaram reforços, mas nada de manto até o momento.  

 

Sousa apresentou elenco no dia 12 deste mês, mas não os uniformes. Auto Esporte faz ação para lançamento da camisa 2018 e Desportiva Guarabira segue contratando jogadores. O Serrano-PB goleou o Sport Campina por 5 a 1 no primeiro amistoso com o novo elenco, mas também não apresentou os novos uniformes. Em Patos, o Nacional tem garantido importantes renovações de atletas que conquistaram a segunda divisão do paraibano. Já o CSP anunciou o elenco que vai disputar o estadual, mas nada os novos uniformes.  

 

COMPARTILHAR
Geri Júnior
Jornalista pela Universidade Federal da Paraíba; repórter esportivo na TV Brasil; Jornalista esportivo freelance; comentarista esportivo; Apreciador do futebol, seja moderno ou raiz e contador de histórias.

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário
Digite o seu nome