Copa do Nordeste e o desempenho dos times do interior no paraibano 2018

Finalmente a primeira rodada do campeonato paraibano chegou ao fim nesta terça-feira (9), com a partida entre Campinense X Desportiva Guarabira. Os amigos que frequentam esta coluna devem ter pensado se ficaríamos naquela análise, mas não é possível fazer o balanço da primeira rodada sem que ela ainda não tenha sido encerrada. Também fiquei devendo o que pude apreciar de Cordino -MA x Treze, então faremos um balanço de tudo que aconteceu fora da capital nesta jornada inicial do torneio.

Campinense goleia

O Campinense estreou com uma vitória consistente diante da Desportiva Guarabira, 3 a 0 e o domínio das ações de jogo durante toda a partida. Após um início de jogo marcado por uma sequência de finalizações, Jean Carlo marcou o primeiro gol da raposa; tudo ainda aos 7 minutos de jogo. Foi só após o gol que a Desportiva conseguiu respirar e pôde tentar jogar.

Foi só a partir dos 15 minutos de jogo que se tornou possível identificar algum traço do time do brejo. O setor defensivo era lento e desentrosado demais para armar uma linha de impedimento efetiva contra os ataques do adversário e isso deu muitas chances do Campinense ampliar o marcador.

Mas a Desportiva também chega ao ataque investindo nos lançamentos, apostando na velocidade para surpreender o time da casa. Em alguns momentos deu certo, mas faltava eficiência nas finalizações, o que escancarou uma deficiência técnica gritante no setor. Mas se faltava entrosamento, sobrava vontade e foi por ela que o time azul e branco teve a oportunidade de marcar o primeiro gol no ano. Aos 33 minutos, Ebinho bateu o pênalti e Jefferson defendeu.

Logo na sequência, o Campinense ampliou o placar com Muller Fernandes; 2 a 0 para a raposa. Embora a segunda etapa tenha contado apenas com mais um gol do time da casa, aos 33 minutos, marcado por Muller Fernandes, a Desportiva apresentou um futebol bem mais consistente que o do primeiro tempo.

Diferença técnica

O Campinense se mostrou mais entrosado e efetivo em campo. Apesar de reconhecer que ainda é cedo para indicar candidatos ao título, acredito que seja fundamental observar que o time faz valer o fato de ser um dos favoritos a levar o estadual. A raposa possui seu forte mesmo no setor ofensivo, comandado por Muller Fernandes, ataque muito veloz e ex do Belo.

Até pareceu que a diretoria havia perdido o “juízo” quando, ainda na pré-temporada, iniciou uma série de dispensas, ou melhor dizendo, um monte de “não vem para cá” distribuídos, já que os atletas que foram embora ainda não possuíam vínculo com o clube e treinavam apenas como uma fase de testes. Aparentemente a estratégia deu certo. O elenco tem qualidade, apesar de uma defesa aparentemente lenta – precisou de Rafael Jensen para obter velocidade no setor. Méritos também para Celso Teixeira.

No lado da Desportiva Guarabira, confesso que estava ansioso para acompanhar os jogos do time do brejo neste paraibano, acreditava que surgia uma nova força no futebol do interior e apesar da derrota sonora não me decepcionei. Acredito que o Guarabira não tem absolutamente nenhuma obrigação de vencer os grandes do Estado e vejo essa equipe

levando pontos importantes contra os menores. O objetivo deve ser não cair e esse time que aí está garante exatamente isso.

Treze devendo bom futebol

Os comandados de Oliveira Canindé foram os primeiros da Paraíba a estrear neste ano e fizeram um jogo sofrido em Imperatriz -MA, no último dia 4, quando a chuva roubou os holofotes que deveriam estar voltados para o futebol. Com o gramado pesado ficou difícil manter qualquer tática de jogo e o empate por 1 a 1 refletiu a deficiência apresentada em campo, mas sem crítica aos times, tudo foi promovido mesmo pelas péssimas condições do gramado.

Galo x Auto esporte

O Treze subiu aos gramados do estádio Presidente Vargas para mais uma estreia, no último domingo (7), dessa vez no paraibano diante do Auto Esporte. Não saberia precisar se a condição física pesou para o Galo, mas o fato é que o Auto apresentou um futebol excelente e surpreendeu tanto o adversário como os colegas de imprensa. O resultado de 2 a 1 para o alvinegro de Campina Grande não foi justo com o futebol apresentado em campo.

Aliás, o macaco autino sempre traz consigo um filme que conhecemos. O Bom futebol surpreende a todos e o time caminha muito bem no campeonato, figurando entre os quatro primeiros da tabela, mas ao fim do primeiro mês começam a aparecer problemas dos mais diversos e o time cai de rendimento, sempre deixando aquela sensação de que poderia até disputar vaga na final. Vamos nos juntar à fiel alvirrubra na torcida para que esse seja um ano diferente.

Decisão no Nordestão

Agora o Treze volta a atenção para o Cordino em um jogo que acontece nos domínios do Galo e em um gramado que apresenta melhores condições que o do Frei Epifânio, em Imperatriz -MA. As desculpas da última partida não servem e a equipe de Barra do Corda já deixou a mostra que não tem mais o bom time vice-campeão do campeonato maranhense em 2017. Um empate sem gols ou qualquer vitória classifica o Galo para a fase de grupos da Copa do Nordeste no duelo que acontece nesta quinta-feira (11).

O time ainda espera poder contar com a estreia de Marcelinho Paraíba, que ainda não teve seu nome divulgado no Bolentim Informativo Diário (BID). O principal reforço para o duelo deve ser a presença da torcida no Presidente Vargas. Isso porque o clube não havia apresentado os laudos necessários para a liberação de torcedores no estádio para a Copa do Nordeste e só ontem, confirmou a liberação por parte da diretoria de competições da CBF e já informou os valores dos ingressos. As entradas devem custar R$ 20,00 na arquibancada geral; R$ 40,00 arquibancada principal e R$ 80,00 para cadeiras.

Resultados

Copa do Nordeste – 04/01 – 05/01

Cordino 1 x 1 Treze

Itabaiana-SE 0 x 0 Náutico

Paraibano – 07/01

Sousa 0 x 0 CSP

Atlético-PB 1 x 0 Nacional

Treze 2 x 1 Auto Esporte

Botafogo -PB 2 x 1 Serrano

Campinense 3 x 0 Desp. Guarabira

COMPARTILHAR
Geri Júnior
Jornalista pela Universidade Federal da Paraíba; repórter esportivo na TV Brasil; Jornalista esportivo freelance; comentarista esportivo; Apreciador do futebol, seja moderno ou raiz e contador de histórias.

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário
Digite o seu nome