Uma moça de 17 anos, com suspeita de H1N1, morreu nesta quinta-feira (21). A moça deu entrada no hospital há 17 dias, grávida de oito meses, e teve que antecipar o parto para que a criança não corresse riscos.

A criança nasceu saudável, mas foi levada à UTI pediátrica do Instituto de Saúde Elpídio de Almeida (Isea). Durante todo o procedimento de pós-parto a saúde da mãe foi se complicando.  A jovem, de Matureia, teve que passar por diversos hospitais antes que os sintomas de gripe fossem notados e que ela fosse encaminhada para o Isea.

Dona Maria das Dores, mãe da jovem, lamentou a falta de cuidado que ela enfrentou nas várias unidades de saúde por que a menina passou.

“Davam paracetamol, dipirona, amoxicilina e pronto, aplicava soro e mais nada. Só a médica cubana que a atendeu, já era a quarta médica, percebeu que ela estava com gripe”, disse.

Exames ainda serão realizados para confirmar a presença do H1N1 no organismo da jovem.

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário
Digite o seu nome

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.