1. O último pleito eleitoral deixou a cidade canavieira em polvorosa, ora, foi a primeira eleição sem os famosos “Caciques” da velha política, os quais, respeitosamente, chamo-os de múmias com suas dinastias oligárquicas (engenho versus usina e Reginaldo Pereira na eterna oposição)! Curiosamente, também foi atípica essa eleição devido ao descrédito da pior gestão da história, onde não nos aprofundaremos nesse esboço de caráter histórico/memorialístico por assim dizer!

2. O que acenava para um pleito recorde de abstenções de votos, surpreendeu, com a segunda votação majoritária de nossa história política! Com 70,16% dos votos válidos, a chapa do médico Emerson Panta e do empresário, Vice, Carimbó nos mostrou que em se tratando de comportamento político do eleitorado de Santa Rita, “tudo pode acontecer, inclusive nada”! Este espetaculoso resultado, perdeu apenas para o ex prefeito Antonio Teixeira, eleito em 1968 com 100% dos votos válidos, fenômeno a ser pesquisado pela ciência política. Destacamos que nossas eleições diretas datam de 1947 até os nossos dias e que apenas dez prefeitos foram eleitos com mais de 50% dos votos válidos, a saber : Antonio Teixeira, Emerson Panta, Marcus Odilon com 60,05% (2004), Flávio Maroja com 57,01%(1947), Heraldo Gadelha com 54,38%(1963), Reginaldo Pereira com 51,52%(2012), Severino Maroja com 50,97%(2000), Oildo Soares com 50,70%(1992) e João Crisóstomo com 50,51%(1955).

3. A vitória de Emerson Panta, reflete num misto de um sonho coletivo do novo, com votos de protestos contra quem já exerce cargo eletivo, dentro de um processo tumultuado de indecisão sobre o registro de candidatura, decorrente de improbidade administrativo do candidato, a possibilidade de se assumir o mandato, tendo um resultado no mínimo inusitado que oscilou de quase cem por cento de condenação na instância local a cem por cento de absorvição na nacional.

4. O ponto mais controverso e polêmico de todo processo foi a apoio velado do na época atual prefeito, Netinho de Várzea Nova, apoio que Emerson negou com veemência e recentemente em entrevista a um programa de rádio, Netinho de Várzea Nova se fez entender em seu apoio que segundo o mesmo, foi retribuído com ingratidão. Á princípio, o conceituado médico monta uma equipe de secretariado com um misto de técnicos e políticos, deixando dividida a opinião pública.

5. O ato de pose do novo gestor aconteceu sem glamour, num evento simples e sem praticamente público, na Praça Getúlio Vargas. No composição do corpo dito técnico, uma secretária de educação doutora em sua área, bastante gabaritada para o cargo e um secretário de finanças com experiências de notável respeito, tendo sido secretário de Estado. Por outro lado, sem questionar o mérito de competências, foram nomeados parentes do prefeito para outras pastas, á exemplo da secretaria do Bem Estar Social, sua esposa, a médica Jane Panta, propiciando espaço para a oposição denunciar como pártica de nepotismo, comparando-o ao ex prefeito Reginaldo Pereira.

6. Outrossim, as indicações dos tucanos do mais alto escalão paraibano (Rui Carneiro e Cássio Cunha Lima) foram duramente rechaçadas por parte da opinião pública e repercutiu na imprensa local. Como herança maldita, Panta recebeu uma cidade aos escombros, falida e com um descrédito generalizado em seus serviços públicos, com uma imagem arranhada nacionalmente por assim dizer no cenário político.

7. O maior desafio do novo gestor estava em atualizar os salários atrasados de todos os servidores e servidoras e organizar a coletiva do lixo, visto os bolsões de lixões á céu aberto dentro da cidade. A contratação de empresas de lixo é ainda hoje ponto de divergência entre o poder executivo e o legislativo, sendo o prefeito acusado de contratar duas empresas sem licitação. Mas, felizmente o problema do lixo foi proporcionalmente sanado.

8. Quanto a questão de salários atrasados, há uma grande polêmica entre o prefeito e a categoria da educação, uma vez que antes de terminar o mandato, o prefeito Netinho assinou junto com o Sinfesa, um documento onde autoriza que os 60% do montante seja dividido com o magistério, visto que trata-se de uma precatória do antigo FUNDEF e que o ideal é sua utilização para esse fim. O prefeito Panta sem conseguir ser preciso sobre a utilização deste recurso, disse recorrer da decisão já homologada e prestes a ser executada, além de não ter interesse de conversar com a representação sindical, recebendo-os uma única vez e segundo os mesmos, com pouca cordialidade e falta de interesse em negociar os direitos das categorias diversas. Convocado por duas vezes pelos vereadores de oposição para prestar esclarecimentos, ainda em fevereiro, Panta foi recepcionado na Casa de Antônio Teixeira, com um misto de vaias por parte de alguns servidores e populares e gritos de aplausos de parte deste mesmo público presente.

9. Nesses cem dias de governo, assistimos a inaugurações de alguns PSF’s e, uma coleta regular do lixo, uma chamada escolar bastante propagada e uma acanhada operação “Tapa Buracos”. Ademais, o prefeito começa sem intervir na eleição da câmara municipal, perdendo aliados e ficando com minoria e sem ainda dar expediente em órgãos públicos, podendo revelar traços de impopularidade. Contudo, sabemos do montante de recursos que a cidade recebe, bem como dos royaltes de Petrobras á caminho e de outros recursos de ordem diversas, nesta “pobre menina rica” que sonha qual moça na janela com dias melhores! Mas quem ama esta terra, torce por esses dias.

(Valdir Lima)

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário
Digite o seu nome

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.