O Maior Portal de Notícias da Cidade de Santa Rita na Paraíba.
Categorias
Guia em Foco
Quem Somos

Espectros busca bicampeonato nacional

Prestes a ser bicampeão brasileiro no ano em que completa uma década de existência, o time de Futebol Americano João Pessoa Espectros, precursor da modalidade no estado, enfrenta o Sada Cruzeiro neste domingo (10), pela final da liga nacional, no estádio Independência, na capital Mineira. A equipe tem crescido muito. Hoje com o apoio de academias e fornecedores de materiais da região, o time ganhou muitos títulos dentro desses dez anos. Mas o início não foi tão fácil. Tudo começou na areia da praia de Cabo Branco, em João Pessoa, sem nenhuma estrutura.


O início

Bem mais tático, o futebol americano na grama trouxe uma necessidade, a de equipamentos de jogo, sem contar com local de treinos e para jogos oficiais, mas pra tudo acontecer faltava o investimento. E o Espectros disputou o primeiro Campeonato Paraibano de FA, sem capacetes.


A primeira vez

Em 2009, vem o primeiro campeonato nordestino de futebol americano, em Fortaleza-CE. Com a equipe mais unificada, participaram do torneio, mas foi um tanto conturbado para a equipe paraibana, ficaram alojados numa escola pública dentro de uma favela de Fortaleza, jogadores dormiram no chão da escola, sem água e higienização, a alimentação não era das melhores. Que coisa hein?!

Treino / Foto: Ary Silva

A dificuldade

Importância e reconhecimento já faziam parte da vida do Espectros, não só na região, mas em todo Brasil. Porém, a prática da modalidade ainda era considerada violenta e não atraia muito o público para os jogos. O processo de aceitação foi muito lento, e trabalharam o marketing da equipe e divulgação do esporte através de campanhas, promoções de ingressos, divulgação nas redes sociais.

A ascensão

A ascensão veio no mesmo torneio regional em 2009, o João Pessoa Espectros sagrou-se campeão do certame. O título veio após um jogador cair em cima da bola e se machucar. Já no fim, o time da casa, o na época Ceará Cangaceiros, não aceitou a decisão da arbitragem e o Nordestão daquele ano teve dois campeões. Ali começava a saga de um campeão.

A procura pela modalidade só aumentava à medida que o Espectros vencia seus jogos. Para quem acompanhava liga americana (NFL), sabe que é um fator predominante na difusão do esporte no Brasil e na Paraíba.

A partir daí o Espectros ganha certo destaque no cenário nacional. Tudo começou quando as equipes do Nordeste se uniram, e formaram um só time para competir na Liga Nacional, que na época era considerado o campeonato brasileiro de futebol americano, em Sorocaba, no interior de São Paulo.



A decepção
Tema do documentário “Negócios Inacabados”, produzido por Andhrey Ferreira, que mostra bastidores do Espectros durante toda a temporada 2012, mostrando o training camp em Rio Tinto, os desempenhos nos amistosos, as preleções com o então técnico Brian Guzman e os lances dos jogos do time no Brasileiro daquele ano. O otimismo era integral em cada atleta, mas não foi bem assim, em jogo disputadíssimo, o Espectros perdeu para o Cuiabá Arsenal na final pelo placar de 21×20. A trajetória da equipe naquele ano ficou marcada como a maior decepção por parte dos atletas da temporada.
 
 
A glória
Mas o crescimento da equipe, temporada após temporadas era notório, o time colocava medo nos adversários sempre que entrava em campo. Foram sete títulos na liga Nordestina, ganhou tudo que disputou na região e chegou por três vezes consecutivas às finais do campeonato brasileiro. Vice-campeão nas duas primeiras temporadas, derrotado pelo Coritiba Crocodiles e sendo campeão em 2015 contra o mesmo Crocodiles. O título nacional foi o auge para o João Pessoa Espectros, uma vitória emocionante disputada na sua cidade, no Almeidão, com um público espetacular.
A revanche
Jogo contra o Cuiabá Arsenal/Foto: Espectros

Este ano o Espectros venceu a liga nordeste de futebol americano de forma invicta, e chegou à semifinal do Brasil Bowl, onde encontrou um velho conhecido, lá estava o Cuiabá Arsenal, mais uma vez, dessa vez, em João Pessoa. E a história foi bem diferente, com o placar de 40 a 21. A equipe paraibana irá à sua quarta final nacional em cinco anos. Estádio Independência, em Minas Gerais é o palco, o adversário é o time do Sada Cruzeiro, no próximo dia 10.

No Lance PB
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Veja mais matérias
Total
1
Share