A presidente do Ibama, Suely Araújo Foto: José Cruz / Agência Brasil

Do Congresso em Foco:

Um dia após se envolver em uma discussão com o presidente Jair Bolsonaro e o novo ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, a presidente do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais (Ibama), Suely Araújo, pediu exoneração do cargo nesta segunda-feira (7). O pedido foi aceito de imediato por Salles. Ela será substituída pelo procurador ligado ao Ibama Eduardo Bim, que é especialista em Direito ambiental e tributário.

Em nota divulgada ontem à noite, Suely criticou comentários feitos presidente da República e do ministro do Meio Ambiente questionando um contrato de R$ 28,7 milhões feito pelo Ibama para o aluguel de veículos. Segundo ela, eles demonstraram “completo desconhecimento da magnitude” do órgão e das suas atribuições.

A confusão começou nesse domingo, quando Ricardo Salles reproduziu, no Twitter, um trecho do Diário Oficial da União com o extrato do contrato. “Quase 30 milhões de reais em aluguel de carros, só para o Ibama…”, escreveu.

Bolsonaro não só compartilhou a mensagem como acrescentou: “Estamos em ritmo acelerado, desmontando rapidamente montanhas de irregularidades e situações anormais que estão sendo e serão COMPROVADAS e EXPOSTAS. A certeza é: havia todo um sistema formado para principalmente violentar financeiramente o brasileiro sem a menor preocupação!”. O presidente apagou o comentário posteriormente e deixou no ar apenas o questionamento feito pelo auxiliar.

(…)

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário
Digite o seu nome

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.