Denúncia de candidaturas laranjas faz Bolsonaro demitir ministro e ex-coordenador de campanha

0
12

Denúncia de candidaturas laranjas para arrecadação de dinheiro fez a primeira vítima do governo Bolsonaro. Gustavo Bebbiano, secretário-geral da Presidência e ex-coordenador da vitoriosa campanha do PSL foi demitido. A exoneração é o ápice da crise que fez a gestão sangrar por cinco dias, desde o atrito entre o então ministro e o vereador Carlos Bolsonaro (PSL), filho do presidente.

Coube ao porta-voz da Presidência, general Otávio Rêgo Barros, levar a público o que já se comentava nos bastidores: a iminente queda de Bebbiano, homem forte na eleição e articulação bolsonarista.

O general da reserva Floriano Peixoto, secretário-executivo da pasta, foi anunciado como substituto no posto.

A crise no Palácio do Planalto se instalou depois de denúncia da Folha de São Paulo. Matéria do jornal identificou a existência de um esquema de candidaturas de fachada no PSL, partido de Bolsonaro, para desviar verba pública eleitoral.

Bebbiano era o presidente do partido durante as eleições de 2018. Logo após a denúncia, Bebbiano disse ter falado com Bolsonaro sobre o caso. O filho do presidente desmentiu o ministro publicamente e divulgou áudio em que o pai rejeitava contato com o aliado. Como prometera, Gustavo não pediu demissão do cargo e esperou pela exoneração.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.