22.9 C
Santa Rita
segunda-feira, 25 maio , 2020

TSE rejeita ação de Bolsonaro contra Haddad e Folha sobre reportagem no 2º turno

-

- Publicidade -

Do Conjur

Por unanimidade, o Plenário do Tribunal Superior Eleitoral rejeitou nesta quinta-feira (19/9) uma ação do presidente Jair Bolsonaro que pedia investigação do então candidato Fernando Haddad (PT) e do jornal Folha de S.Paulo, durante as eleições do ano passado.

O relator da ação, ministro Jorge Mussi, votou pela improcedência dos argumentos e determinou o arquivamento do processo.

“Meu entendimento é pelo princípio constitucional da liberdade de expressão, e a atuação da Justiça Eleitoral em situações que envolvem os meios de comunicação social deve ser realizada com a menor interferência possível, de modo a prevalecer a livre manifestação do pensamento e o direito de informação”, disse.

Segundo o ministro, a Constituição é clara ao estabelecer que “a manifestação do pensamento, a criação, a expressão e a informação sob qualquer forma, processo ou veículo não sofrerão qualquer restrição”.

“Esse princípio garante o pluralismo de opiniões, instrumento essencial para a consolidação do estado democrático de Direito. No caso em análise, as reportagens jornalísticas estão fundadas em relação indissociável entre a liberdade de imprensa, de expressão e democracia”, defendeu.

De acordo com ministro, não se sustenta o argumento de que houve acordo realizado com o propósito de prejudicar entre os adversários de Bolsonaro e o jornal. “Tampouco houve prova de que o material divulgado pela publicação seria notícia inverídica, infundada, depreciativa, difamatória ou criminosa”, afirmou.

O argumento de Bolsonaro, ainda candidato quando protocolou a ação, era que Haddad e sua vice, Manuela d’Ávila (PCdoB), teriam se aliado ao jornal para atacar sua campanha para publicar reportagem caluniosa sobre ele para prejudicar sua candidatura.

Segundo a reportagem “Empresários bancam campanha contra o PT pelo WhatsApp”, publicada em 18 de outubro de 2018, empresários simpáticos a Bolsonaro teriam contratado o disparo em massa de mensagens eletrônicas para a semana anterior ao segundo turno, com informações falsas sobre o PT.

- Publicidade -
Redação
Redação
Compartilhe informações pelo nosso Whatsapp (83) 98611.8630

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário
Digite o seu nome

Laia Também

Moradora de Tibiri II morre vítima de coronavírus horas depois de dá a luz; bebê também morre

A assistente social Joyce Rodrigues, 24 anos, morre nesse...

Coronavírus: MP recomenda que Prefeitura de Santa Rita, PB, crie plano emergencial funerário

O Ministério Público da Paraíba recomendou na quinta-feira (21) que a...

Popular é o bairro de Santa Rita com o maior número de mortes da Covid-19

Na cidade de Santa Rita, um único bairro concentra...

Medidas de isolamento social para prevenção da Covid-19 são prorrogadas em Santa Rita, PB

As medidas temporárias e emergenciais de isolamento social, com...