25 C
Santa Rita
segunda-feira, 21 setembro , 2020

AGOSTO DOURADO UM INCENTIVO AO ALEITAMENTO MATERNO

-

- Publicidade -

Estamos no mês de incentivo ao aleitamento materno. Essa campanha se
torna fundamental no contexto da saúde, pois promove a conscientização das
mães e de toda família sobre o papel crucial que a amamentação apresenta tanto
para a saúde da criança, quanto para a mãe.

Ao longo desse texto vamos descrever alguns benefícios do aleitamento
materno para o bebê e para a mãe, bem como desmistificar alguns ditos sobre
esse alimento.

BENEFÍCIOS DO ALEITAMENTO PARA A MÃE

Ainda existem poucos estudos sobre essa temática, mas já se pode verificar
muitos benefícios do aleitamento na saúde materna:

1° Pode prevenir anemia, pois ajuda na diminuição do sangramento pós-parto;

2° Acelera o processo de retorno ao tamanho normal do útero;

3° Reduz os riscos de desenvolvimento de câncer de mama e de ovários.
Enquanto maior o tempo de amamentação, menor o risco;

4° Reduz os riscos de desenvolvimento de osteoporose, doença bastante
comum em mulheres, principalmente após os 50 anos;

5° Auxilia na redução do peso, acelerando o retorno ao peso pré gestacional;

6° Pode ajudar na prevenção da artrite reumatoide, também bastante comum
nas mulheres;

7° É um alimento sem custo e prático, pois já está pronto e na temperatura ideal.

BENEFÍCIOS DO ALEITAMENTO PARA A CRIANÇA

1° É o único alimento que fornece todos os nutrientes que o bebê precisa, na
quantidade e temperatura apropriadas;

2° Fornece imunidade para o bebê. Característica que não se encontra em
nenhuma fórmula;

3° É de fácil digestão, pois é feito especificamente para a criança;

4° Protege a criança de diarreia, pneumonia, infecções de ouvido e alergias,
principalmente alimentares. Geralmente crianças que são expostas a outro tipo
de leite antes do primeiro ano de vida tendem a desenvolver alergia a proteína
do leite e outros tipos de alergias alimentares;

5° Diminui os riscos de desenvolvimento de cárie, problemas de fala e de
mastigação;

6° Diminui os riscos de desenvolvimento de doenças crônicas não transmissíveis
como a obesidade, o diabetes, as doenças cardiovasculares e a hipertensão;

7° Melhora o desenvolvimento cognitivo da criança.

MITOS SOBRE O ALEITAMENTO MATERNO

1° Não existe leite fraco. A criança sente fome mais rápido quando comparado
aquelas que são alimentadas por fórmulas lácteas pois o leite materno é
especifico para a criança e por isso a digestão ocorre mais rápido, diferente de
outros tipos de leites que dificultam o processo digestivo provocando na criança
a sensação conhecida como “empaixamento”;

2° Não existe leite insuficiente. Essa afirmativa se correlaciona com a primeira,
muitas mulheres acreditam que precisa adicionar uma fórmula láctea achando
que apenas seu leite não traz sacão traz saciedade. De fato uma criança em
aleitamento materno necessita se alimentar mais vezes, mas pelo motivo da
rapidez da digestão e não pela insuficiência do leite materno;

3° Doces não ajudam na produção do leite. Uma boa alimentação, rica nos
diversos nutrientes e uma boa hidratação garantem uma boa produção de leite;

4° As fórmulas não são iguais ao leite materno. Por melhor que seja a fórmula,
ela não se compara ao leite materno em benefícios;

5° Crianças prematuras ou com baixo peso devem sim ser alimentadas com o
leite materno. Correlacionado também com a questão do mito de que o leite
materno é fraco, muitas mães acreditam que uma criança que precise
rapidamente adquirir peso não deve ser amamentada, mas pelo contrário, essa
criança precisa ainda mais;

6° O bebê deseja tanto quanto a mãe acertar a pega do peito. Muitas vezes
acredita-se que o bebê não deseja o peito, mas vale lembrar que tanto a mãe
quanto a criança estão aprendendo, é necessário paciência para que o recém
nascido consiga pegar adequadamente. É importante saber que o uso de
mamadeiras e chupetas pode levar a perda de interesse por parte da criança em
realizar a pega do peito;

É interessante que a criança seja amamentada exclusivamente até o 6°
mês de vida. E continuar com o aleitamento até o 2° ano com a adição de
alimentos complementares (frutas, vegetais, cereais, grãos e não outros tipos de
leites).

Se você tem dúvida ou dificuldades sobre o aleitamento materno procure
ajuda profissional para garantir qualidade de vida para você e para seu bebê.

- Publicidade -
Lidiane Barros
Lidiane Barros
Lidiane Barros é especialista em Nutrição clínica, esportiva e escolar. Graduada pela Universidade Federal da Paraíba em 2013 e Pós-graduada em Bases Nutricionionais da Atividade Fisica pela Estácio de Sá, além de Nutrição Esportiva pelo Cintep.

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário
Digite o seu nome

Laia Também

AGOSTO DOURADO UM INCENTIVO AO ALEITAMENTO MATERNO

Estamos no mês de incentivo ao aleitamento materno. Essa...

COVID-19: Como amenizar os efeitos do estresse e da ansiedade através da alimentação

A COVID-19 tem trazido consequências gigantes na saúde pública,...

A vitamina C e a imunidade

Estamos vivendo dias difíceis, onde a incerteza de não...

Importância da alimentação em tempo de COVID-19

“Há muitas informações sobre alimentação e saúde,...