Categorias
Guia em Foco
Comercial

Semana inicia com mais de 40 mortos por Covid só nesta segunda (5), e “quase tudo liberado” por novos decretos.

Com um total de quase 6.000 mortos, a Paraíba totaliza só nesta segunda-feira (5) 1.059 novos casos e 43 mortos, mesmo assim, novos decretos do Governo do Estado e Prefeitura de João Pessoa, liberam quase tudo, inclusive o ensino híbrido na capital, acesso à orla, etc.

A Secretaria de Estado da Saúde (SES) registrou, nesta segunda-feira (5), 1.059 casos de Covid-19. Entre os confirmados hoje, 33 (3,11%) são casos de pacientes hospitalizados e 1.026 (96,88%) são leves. Agora, a Paraíba totaliza 264.640 casos confirmados da doença, que estão distribuídos por todos os 223 municípios. Até o momento, 757.012 testes para diagnóstico da Covid-19 já foram realizados.

Também foram confirmados 43 novos óbitos desde a última atualização, sendo 27 nas últimas 24h. Os óbitos ocorreram entre os dias 01 e 05 de abril de 2021, sendo 16 deles em hospitais privados, 01 em residência e os demais em hospitais públicos. Com isso, o estado totaliza 5.949 mortes.

O boletim registra ainda um total de 186.670 pacientes recuperados da doença.

Concentração de casos

Cinco municípios concentram 511 novos casos, o que corresponde a 48,25% dos casos registrados nesta segunda. São eles: João Pessoa, com 240 novos casos, totalizando 71.672; Campina Grande, com 91 novos casos, totalizando 24.242; Solânea, com 86 novos casos, totalizando 2.493; Santa Rita, com 52 novos casos, totalizando 6.518; Cabedelo, com 42 novos casos, totalizando 6.729.

* Dados oficiais preliminares (fonte: e-sus VE, Sivep Gripe e SIM) extraídos às 10h do dia 05/04/2021, sujeitos a alteração por parte dos municípios.

Óbitos

Até esta segunda, 214 cidades paraibanas registraram óbitos por Covid-19. Os 43 óbitos confirmados neste boletim ocorreram entre residentes dos municípios de Amparo (1), Araçagi(1), Cabedelo (1), Caiçara (1), Campina Grande (3), Caraúbas (1), João Pessoa (20), Lagoa Seca (1), Matureia (1), Olho d’Água (1), Patos (1), Pedra Lavrada (1), Piancó (1), Pocinhos (1), Santa Rita (1), São Bento (1), São João do Rio do Peixe (1), Serra Grande (1), Solânea (1), Soledade (1), Taperoá (1) e Triunfo (1).

As vítimas são 21 homens e 22 mulheres, com idades entre 35 e 98 anos. Hipertensão e diabetes foram as comorbidades mais frequentes e 12 não tinham comorbidades.

Ocupação de leitos Covid-19

A ocupação total de leitos de UTI (adulto, pediátrico e obstétrico) em todo o estado é de 78%. Fazendo um recorte apenas dos leitos de UTI para adultos na Região Metropolitana de João Pessoa, a taxa de ocupação chega a 86%. Em Campina Grande estão ocupados 66% dos leitos de UTI adulto e no sertão 90% dos leitos de UTI para adultos. De acordo com o Centro Estadual de Regulação Hospitalar, 70 pacientes foram internados nas últimas 24h. Ao todo, 856 pacientes estão internados nas unidades de referência.

Cobertura Vacinal

Foi registrado no sistema de informação SI-PNI a aplicação de 532.477 doses. Até o momento, 432.168 pessoas foram vacinadas com a primeira dose e 100.309 com a segunda dose da vacina. Um total de 656.630 doses já foram distribuídas.

Os dados epidemiológicos com informações sobre todos os municípios e ocupação de leitos estão disponíveis em: www.paraiba.pb.gov.br/coronavirus

A Prefeitura de João Pessoa divulgou nesta segunda-feira (5) novo decreto sobre as medidas de enfrentamento e prevenção à pandemia da Covid-19, que vigora de 05 a 18 de abril. O texto, publicado no Semanário Oficial da PMJP, disciplina o funcionamento de atividades comerciais, religiosas, educacionais e esportivas, bem como suspende o funcionamento de atividades presenciais nos órgãos e entidades vinculadas ao Poder Municipal, exceto aquelas consideradas essenciais, que atuarão na forma de plantão.

O Decreto determina que bares, restaurantes, lanchonetes, lojas de conveniência e estabelecimentos similares estão autorizados a funcionar somente com atendimento nas suas dependências das 6h até 22h, com ocupação de 30% da capacidade do local, podendo chegar a 50% com a utilização de áreas abertas, e fica proibido fora desse horário a comercialização de qualquer produto para consumo no próprio estabelecimento, podendo funcionar através de delivery ou para retirada pelos próprios clientes (takeaway) até o limite de 23h30.

O horário de funcionamento de restaurantes, lanchonetes e estabelecimentos congêneres não se aplica aos que funcionem no interior de rodoviárias, aeroportos, postos de combustíveis localizados nas rodovias.

Os estabelecimentos do setor de serviços e o comércio poderão funcionar até 10 horas contínuas por dia, sem aglomeração de pessoas nas suas dependências e observando todas as normas de distanciamento social e os protocolos específicos do setor. Os shoppings centers e centros comerciais poderão funcionar das 10h até 22h.

As atividades ligadas à construção civil somente poderão funcionar das 6h30 até 16h30, sem aglomeração de pessoas nas suas dependências e observando todas as normas de distanciamento social e os protocolos específicos do setor.

Poderão funcionar também, em seu horário habitual, observando todos os protocolos elaborados pelas autoridades sanitárias, as atividades ligadas aos serviços pessoais (salões de beleza, barbearias e demais) que deverão atender exclusivamente por agendamento, sem aglomeração e observando as normas de distanciamento; escolinhas de esporte, creches e similares; hotéis, pousadas e similares; a indústria; call centers; e academias (podem funcionar com até 50% de sua capacidade).

Feiras livres vão funcionar das 5h às 16h, devendo ser observadas as boas práticas de operação padronizadas pela Legislação Municipal e ainda um maior distanciamento entre as bancas e ampliação dos corredores de circulação de pessoas.

Cerimônias religiosas, reuniões e eventos

A realização de missas, cultos e quaisquer cerimônias religiosas presenciais poderão ocorrer, com ocupação de 30% da capacidade do local, podendo chegar a 50% da capacidade com a utilização de áreas abertas.
A realização de eventos sociais ou corporativos, de forma presencial, em ambientes públicos fechados ou abertos, espaços de dança, praças, praias permanecem proibidos, enquanto estiver em vigor o decreto.

Ensino público e privado

Fica mantida a suspensão do retorno das aulas presenciais nas escolas da rede pública municipal, até ulterior deliberação, devendo manter o ensino remoto, garantindo-se o acesso universal. No período compreendido entre 05 de abril de 2021 a 18 de abril de 2021 as instituições de ensino infantil e fundamental I podem funcionar de forma remota, híbrida ou presencial com capacidade máxima de 50% por turma, mantendo o distanciamento de 1,5 metro entre os alunos.

As escolas e instituições privadas dos ensinos superior, médio, fundamental II, além dos estabelecimentos de cursos livres para maiores de 11 anos funcionarão exclusivamente através do sistema remoto. O transporte escolar também está autorizado a funcionar, com os cuidados relativos ao uso de máscara, disponibilização de álcool 70% e aferição de temperatura corporal no momento do acesso aos veículos.

Fiscalização 

Os órgãos de vigilância sanitária municipais, as forças policiais estaduais, os Procons estadual e municipal e a Guarda Municipal ficarão responsáveis pela fiscalização do cumprimento das normas estabelecidas nesse decreto e o descumprimento sujeitará o estabelecimento à aplicação de multa e poderá implicar no fechamento em caso de reincidência.

Os recursos oriundos das multas aplicadas em razão do disposto no caput serão destinados às medidas de combate ao novo coronavírus (Covid-19). Todos os órgãos responsáveis pela fiscalização poderão aplicar as penalidades.
Os estabelecimentos autorizados a funcionar deverão zelar pela obediência a todas as medidas sanitárias estabelecidas para o funcionamento seguro da respectiva atividade. Se for constatada qualquer infração segundo o decreto, o estabelecimento será notificado e multado e poderá ser interditado por até sete dias em caso de reincidência.

Em caso de nova reincidência, será ampliado para 14 dias o prazo de interdição do estabelecimento, sem prejuízo da aplicação de multa por descumprimento às normas sanitárias de proteção contra a Covid-19, no valor de até R$ 50 mil.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Veja mais matérias
Total
0
Share