RF IMAGE, NOT MODEL RELEASED, NOT PROPERTY RELEASED On 2011-11-08,at 11:57 AM Sinasac, Tawny ([email protected]) Subject: Tawny Sinasac Health Editor The Hamilton Spectator 905-526-2477 Fax: 905-521-8986 [email protected] 25355297 Blood pressure cuff and salt

A hipertensão arterial ou, como é mais conhecida, pressão alta é bastante comum na população e também uma das principais causas de morte no Brasil e no mundo. Por esse motivo se faz necessário o combate e o estímulo à prevenção dessa doença.

“A hipertensão é uma doença crônica caracterizada pelos níveis elevados da pressão sanguínea nas artérias. Ela acontece quando os valores da pressão máxima e mínima ultrapassam os 140×90 mmHg (14 por 9).” Ministério da Saúde, 2018.

Quando a pressão está aumentada o coração precisa fazer mais esforço para distribuir o sangue pelo corpo e esse é um dos principais problemas com o desenvolvimento da hipertensão. A pressão alta é um dos principais fatores de risco para o infarto, AVC (acidente vascular cerebral), aneurisma arterial e insuficiência cardíaca e renal.

O fator hereditário é muito relevante no desenvolvimento da hipertensão, mas os hábitos de vida são determinantes na prevenção da doença. O fumo, o consumo de bebidas alcoólicas, o estresse, o consumo de sal, as taxas de colesterol elevadas, o sedentarismo, o sobrepeso e a obesidade são fatores de grande influência no aumento da pressão arterial.

Para prevenir esse problema tão comum, mas ao mesmo tempo tão sério devemos adotar alguns comportamentos como:

– Evitar o tabagismo e o etilismo (ou alcoolismo),
– Praticar exercício físico,
– Melhorar os hábitos alimentares.

Se tratando de alimentação vamos falar um pouco agora do que devemos evitar ou preferir:

Alimentos que devemos preferir
– Carnes magras
– Assados (sem adição de gordura) ou cozidos
– Frutas, verduras e legumes
– Temperos e ervas naturais
– Alimentos frescos (sem conservantes)

Alimentos que devemos evitar:

– Enlatados (qualquer produto em conserva em lata ou caixa)
– Embutidos (salsicha, linguiça, mortadela, entre outros)
– Temperos e molhos prontos
– Carnes gordurosas
– Frituras
– Gorduras de adição (margarina, óleo, entre outros)
– Sal de adição.

Sobre o sal de adição, 70% da população brasileira consome além da recomendação máxima da Organização Mundial de saúde (OMS) que orienta que a quantidade máxima diária seja de 5 gramas que equivale a 2 gramas de sódio, ou seja, menos de uma colher de chá rasa.Vale considerar que esse valor é para a população adulta, crianças e adolescentes deve consumir ainda menos.

A imagem abaixo compara o que consumimos com o que deveríamos consumir:

Uma ótima opção para reduzir o sal de adição é preparar o SAL DE ERVAS. Veja como é feito:

1 xícara de sal grosso
1 xícara de ervas secas (orégano, salsa, manjericão – pode colocar quais desejar)

Bater tudo em um liquidificador e conservar em um pote bem fechado.
Na hora de fazer a comida adicione esse sal no lugar do tradicional, fica ainda mais gostoso.

Pense bem nisso, nossa saúde não tem preço!

Lidiane Barros
CRN: 11.342

 

Fonte de pesquisa: Ministério da Saúde e Conselho Federal de Nutricionistas.

Imagens retiradas do Google imagens

 

 

 

Lidiane Barros
Lidiane Barros é especialista em Nutrição clínica, esportiva e escolar. Graduada pela Universidade Federal da Paraíba em 2013 e Pós-graduada em Bases Nutricionionais da Atividade Fisica pela Estácio de Sá, além de Nutrição Esportiva pelo Cintep.

2 COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.