28 C
Santa Rita
sábado, 23 janeiro , 2021

Qual o perigo do refresco em pó?

-

- Publicidade -

O uso de refresco em pó, mas conhecido como suco de pacote, é cada vez mais comum, devido a praticidade e o custo baixo. Mas, vale a pena, em relação a saúde, toda essa praticidade e custo baixo?

A resposta é: não

Os “refrescos em pó” apresentam apenas 5% de suco desidratado de fruta. Sendo assim, eles não podem ser chamados de suco. Um suco é aquele que apresenta 100% de fruta em sua composição, no caso de frutas muito consistentes esse percentual pode cair um pouco. Os demais podem ser chamados de bebida a base de suco.

% de polpa de fruta

Suco – 100%

Néctar – 30 a 40%

Refresco – 20 a 30%

Refrigerante – 5 a 10%

A substituição de alimentos naturais por artificiais vem empobrecendo nutricionalmente a dieta e provocando danos a saúde da população. Uma pesquisa demonstrou que 85% das famílias brasileiras utilizam refresco em pó, principalmente as famílias mais carentes.

Esse tipo de refresco e outros produtos industrializados são ricos em ADITIVOS ALIMENTARES. Segundo a portaria n° 540 da Secretaria de Vigilância em Saúde (SVS/MS) de 27 de Outubro de 1997, aditivo alimentar é qualquer ingrediente adicionado intencionalmente, sem o propósito de nutrir, com o objetivo de modificar as características físicas, químicas, biológicas ou sensoriais do alimento. Existem mais de 6 mil tipos de aditivos alimentares, entre eles, aroma, corantes, conservantes, realçadores de sabor, etc).

Muitas pesquisas vem estudando esses aditivos e comprovadamente eles são responsáveis pelo desenvolvimentos de alergias, asma, dermatite de contato, urticária crônica, choque anafilático, rinite alérgica, danos no fígado, estômago e intestino, danos nos genes e câncer. Devido a adição de açúcares, esses refrescos também estão associados ao desenvolvimento de obesidade e outras doenças crônicas não-transmissíveis (diabetes, pressão alta, doenças no coração).

As crianças estão ainda mais suscetíveis ao desenvolvimento de doenças e alergias, pois suportam uma quantidade menor desses aditivos. Pesquisas tem demonstrado que a maioria das crianças ultrapassam a quantidade máxima permitida de aditivos, o que se caracteriza um risco maior.

O uso de alimentos industrializados em geral, são responsáveis por diversos danos a saúde da população, devido a grande utilização de aditivos alimentares. A melhor opção é não consumir esses tipos de alimentos. Prefira uma refeição mais natural e caseira.

Para os sucos prefira a fruta fresca ou a polpa de fruta (de boa procedência). São mais saudáveis e saborosos.

- Publicidade -
Lidiane Barros
Lidiane Barros
Lidiane Barros é especialista em Nutrição clínica, esportiva e escolar. Graduada pela Universidade Federal da Paraíba em 2013 e Pós-graduada em Bases Nutricionionais da Atividade Fisica pela Estácio de Sá, além de Nutrição Esportiva pelo Cintep.

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário
Digite o seu nome

Leia Também

Janeiro Branco – Saúde mental: O que o intestino tem a ver com isso?

  Chegamos finalmente ao ano de 2021 e já iniciamos...

AGOSTO DOURADO UM INCENTIVO AO ALEITAMENTO MATERNO

Estamos no mês de incentivo ao aleitamento materno. Essa...

COVID-19: Como amenizar os efeitos do estresse e da ansiedade através da alimentação

A COVID-19 tem trazido consequências gigantes na saúde pública,...

A vitamina C e a imunidade

Estamos vivendo dias difíceis, onde a incerteza de não...