25 C
Santa Rita
segunda-feira, 26 outubro , 2020

A volta as aulas e o lanche escolar

-

- Publicidade -

As aulas estão de volta e você já pensou no que o seu filho irá lanchar?

Isso, geralmente não é algo que se é planejado, as crianças levam o que preferem, o que é mais rápido ou compram na cantina o cardápio desejado. Mas você já pensou que o lanche escolar do seu filho pode lhe causar danos de saúde e até de aprendizado?

Isso mesmo, infelizmente a alimentação escolar tem sido muito prejudicial e uma das causas de influência no aumento de várias doenças, que anteriormente eram vistas apenas na população adulta-idosa, como a obesidade, o diabetes, a hipertensão e até mesmo alguns tipos de câncer.

O motivo para esse problema é que a alimentação tem se constituído de salgados fritos, biscoitos recheados, salgadinhos de pacote, doces, refrigerantes ou sucos artificiais entre outros.

A rotina corrida tem sido um dos maiores impedimentos para aqueles pais/responsáveis que desejam oferecer um lanche saudável as crianças e adolescentes. Mas é possível oferecer uma refeição escolar adequada mesmo com os horários corridos. Vejamos algumas dicas.

Antes de listar as dicas vamos entender o porque dessa refeição ser tão importante: Estudar/aprender requer concentração e atenção que consequentemente depende de uma adequação nutricional. Crianças e adolescentes que não estão bem nutridas podem se concentrar e aprender menos e assim desenvolver retardo cognitivo, além de outros danos relacionados ao crescimento e desenvolvimento. O lanche escolar, portanto tem a função de fornecer nutrientes necessários para a continuação do aprendizado adequado da criança, logo se essa refeição não garante esse aporte naturalmente a criança vai desenvolver menos. Além de aumentar o risco do surgimento das doenças citadas acima pelo excesso de ingredientes inadequados e a falta de nutrientes ideais.

Mas, sem mais delongas, vamos as dicas:

1° Ofereça lanches que podem ser produzidos anteriormente e estocados como o sanduíche natural, bolo e biscoito caseiro. Esses lanches podem ser produzidos a noite e condicionados adequadamente para que a criança leve a escola no dia seguinte ou no decorrer da semana.

2° Evite refrigerante e suco industrializado. Escolha o suco da polpa de fruta (de boa procedência) que possa ser também produzido a noite e bem estocado. Outra opção é o achocolatado caseiro (feito com cacau ou chocolate em pó) que é muito saboroso, muito mais saudável que o achocolatado industrializado e pode ser estocado para consumo posterior.

3° Crie o hábito de oferecer uma fruta junto ao lanche.

4° Faça escolhas inteligentes. Quando necessário comprar o lanche faça substituições inteligentes como o biscoito integral no lugar do biscoito recheado e assim por diante.

5° Leia sempre o rótulo para escolher um produto menos calórico, com menos sal ou açúcar, menos gordura e mais fibras e proteína.

Por último, os itens que devem estar presentes no lanche para que ele seja considerado saudável são: uma fruta, uma fonte de carboidrato (pão, bolo, biscoito, tapioca, entre outros), uma fonte de proteína (queijo, frango, ovo, leite, iogurte, entre outros) e uma bebida (água, suco natural ou polpa, água de coco, iogurte, achocolatado caseiro ou suco). Lembrando também de equilibrar a quantidade, considerando o suficiente para saciar a criança e não mais ou menos.

- Publicidade -
Lidiane Barros
Lidiane Barros
Lidiane Barros é especialista em Nutrição clínica, esportiva e escolar. Graduada pela Universidade Federal da Paraíba em 2013 e Pós-graduada em Bases Nutricionionais da Atividade Fisica pela Estácio de Sá, além de Nutrição Esportiva pelo Cintep.

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário
Digite o seu nome

Laia Também

AGOSTO DOURADO UM INCENTIVO AO ALEITAMENTO MATERNO

Estamos no mês de incentivo ao aleitamento materno. Essa...

COVID-19: Como amenizar os efeitos do estresse e da ansiedade através da alimentação

A COVID-19 tem trazido consequências gigantes na saúde pública,...

A vitamina C e a imunidade

Estamos vivendo dias difíceis, onde a incerteza de não...

Importância da alimentação em tempo de COVID-19

“Há muitas informações sobre alimentação e saúde,...